O declínio das instituições “ditas” democráticas do Brasil

 

“Nunca na história deste país” se viu um Estado de insegurança política como ocorre no Brasil nestes últimos anos.

Conforme traz a entrada do site da câmara dos deputados, três principais funções de relevância vital para o exercício da democracia pode ser extraída do exercício do cargo de um deputado “representar o povo brasileiro, legislar sobre os assuntos de interesse nacional e fiscalizar a aplicação dos recursos públicos.”[1]

Não é o que está acontecendo. O cargo público está sendo utilizado para usurpar os bens, riquezas, recursos do Tesouro Nacional, justamente por aqueles que tem o dever de zelar pela boa aplicação do dinheiro público.

Já defendi que o desvio de dinheiro público (qualquer crime de corrupção ativa, passiva) deveria ser considerado crime hediondo, mas essa defesa não é de especialista no ramo da ciência penal, e, portanto, é fruto de indignação com a impunidade reinante neste país, principalmente daqueles que deveriam ser o exemplo para todos os brasileiros.

O crime hediondo é aquele que causa tamanha repulsa pela sua crueldade, banalidade, que a sociedade pede que as penas sejam mais duras, pois é impensável que o homem comum possa praticá-lo diante de sua natureza humana.

Confesso que não vejo grande diferença quando um prefeito desvia o dinheiro das escolas públicas, e deixa seu país sem futuro qualificado, professores ganhando salários miseráveis, e alunos sendo utilizados como estatísticas mentirosas para justificar feitos inexistentes e fantasiosos.

O fato é que a maioria dos alunos que chegam ao 3º ano nas escolas públicas, não sabem nem ler, escrever, interpretar textos simples ou elaborar cálculos simples, segundo matéria vinculada no Correio Brasiliense http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/eu-estudante/ensino_educacaobasica/2013/06/25/ensino_educacaobasica_interna,373103/a-maioria-dos-alunos-que-concluem-o-3-ano-nao-sabe-ler-nem-fazer-conta.shtml.

Também é constrangedor, revoltante e desonesto deixar uma população que paga uma carga tributária extorsiva, esteja em último no ranking de 30 países que menos retorno traz com os impostos arrecadados, conforme notícia divulgada pelo site G1 http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/06/pelo-5-ano-brasil-e-ultimo-em-ranking-sobre-retorno-dos-impostos.html

Aliás, o Brasil está atrás de países como Uruguai (11º) Argentina (19º) e Grécia (16º), conforme traz a notícia no mesmo site.

Na saúde, além do fantasma da corrupção já existente nas administrações dos hospitais, é um serviço sucateado, com ausências de condições mínimas para que um humano possa ser tratado de forma digna e saudável.

As estradas viraram um elemento vital de desvio de dinheiro, com péssima estrutura, matéria prima ruim, além de remendos eternos que fazem nadar um rio de recursos públicos.

Esses são apenas alguns fatores que autorizam a dizer que o Brasil está afundando em um mar de corrupção, falta vergonha, decoro dos agentes políticos, que dão mau exemplo, e se seguram em imunidades parlamentares para cometerem crimes sociais cruéis, pois reduz a capacidade de crescimento do pais, provoca desnível social, representa concentração de renda em poder de poucos.

Termino esse texto para pedir cadeia para todos os corruptos, sem exceção de partidarismo político, somente assim podemos pensar em um verdadeiro crescimento econômico e ético.

[1] Disponível em: http://www2.camara.leg.br/a-camara/conheca

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: