A Luta Contra o Terror!!!! Será?!

Estamos em tempos de guerras invisíveis mercadológicas, e não sabemos bem quem é o inimigo! Vejo todos os dias nações com medo de um inimigo visível, mas de impossível combate, que tem origem em uma tensão territorial no Oriente, fomentando pelo ocidente, onde tudo se resume em riqueza, reservas de petróleo, e hegemonia mundial de alguns sobre muitos!

Estamos enclausurados em teorias e meios de comunicação alienantes que modifica o foco de uma luta iniciada antes da década de 80, mas que não deixa ninguém pensar na origem e no fim disso tudo, como no caso do Oriente e o Estado Islã. Talvez esteja sendo um tanto infantil, a origem remota desde quando o homem aprendeu a subjugar o outro homem, nas relações comerciais, e nas explorações de riquezas ambientais estratégicas e essenciais para o desenvolvimento social.

Talvez essas palavras sejam pequenas nuvens de fumaça ao vento forte, pois não se trata de aprofundar em um “Estado de Nações”, onde a motivação foi sempre a tentativa de domínio de regiões para exploração comercial, para tanto, fomentando, treinando e armando o terror ao longo dos anos, até que se construísse um exército hegemônico, sem medo e disposto a matar e morrer, pois a morte teoricamente seria por Allah, e daí, nada se pode fazer para impedir um indivíduo que não teme a própria morte. (Aqui estou falando dos conflitos no oriente médio, e na extensão do terror provocado pelo próprio Ocidente, que hoje vitima civis em todo o mundo)

E quando se fala em “Estado de Nações” (neologismo criado por mim sem sentido aparente), são Estados dominados por pseudodemocracias, onde a liberdade de expressão é monitorada, a imprensa é braço direito do mercado, e  as mudanças são sempre unilaterais, favorecendo este “Estado de Nações” onde as políticas são sempre favoráveis aos que detém a economia mundial, seja por meio de especulações financeiras, seja por meio de exploração econômica de países ricos, com populações empobrecidas, onde não há espaço para o social. (aqui estou falando dos países de terceiro mundo, os mais ricos de recursos minerais, reservas hídricas e material humano)

E aqui, trago a discussão para o espaço global, porque tudo se interliga.

No Brasil, a dívida pública no ano de 2017 ultrapassará 50% das riquezas e serviços produzidos no Brasil, (PIB), mas a preocupação é com a redução de políticas sociais que a Constituição Federal trouxe como cláusula pétrea! Aliás, alguns economistas e “juristas mercadológicos” chegam ao ápice de defender uma nova constituição federal, mais flexível para o mercado. Todavia, nos últimos dez anos, embora o desemprego só crescesse, os bancos nunca lucraram como antes!

E se a exploração do país se der de forma a primar pelo seu produto, explorando e vendendo por preços que entendem justos, em uma pseudoliberdade como ocorreu com a Venezuela e seu Petróleo, o “Estado de Nações” derruba os preços, destruindo economias periféricas, e utilizando o argumento de que uma política econômica equivocada destruiu a capacidade econômica do país.

Todavia, se ficar mendigando nas amarras do mercado, ano após ano, vivendo de especulação, mesmo que o país seja cada dia mais empobrecido, aí sim, vive-se…. não cresce, não melhora a vida dos humildes, mas vive-se. Basta destruir um direito social aqui, outro ali, e pronto, tudo lindo como antes. Aliás, sobra ao trabalhador, depois de explorado, cansado, voltar para casa e  ligar a tv, onde um repórter de terno italiano lhe diz que o país está bem melhor, pois houve redução de pagamento de benefícios sociais, o que deu uma folga para pagar os juros da dívida pública, que cresce todo o ano, impagável e de origem duvidosa.

Seja como for, a capacidade de extrair as entrelinhas desta notícia, faz com que uma certa complacência recaia na população brasileira (aqui estou falando do Brasil) que, embora seja a 9ª economia mundial, está em 79º no IDH – índice de desenvolvimento humano.

Tudo são fumaças entre uma ventania, que não deixa aparecer os focos de incêndio. O mundo tem 108 milhões de pessoas que passam fome, segundo dados da ONU. Todavia, em meio a conflitos, economias em riscos, a revista Forbes trouxe que no ano de 2017, o número das pessoas mais ricas do mundo, subiu, e somando todas essas fortunas, temos um patrimônio de US$ 7,67 trilhões. Ou seja, o mercado tem lucrado e feito mais bilionários, todavia, a fome entre os miseráveis do mundo representa um aumento de 35% entre os anos de 2015 para 2017. E, ver isoladamente esses números nada representa, se não observamos a guinada de retirada de direitos sociais que está ocorrendo no mundo, o aumento da população miserável e o aumento dos bilionários, que, na contramão das economias dilaceradas, estão guiando os controles midiáticos, políticos e econômicos dos países em uma guinada mundial.

Pensemos! Isto é de graça, ainda!!!

FONTES:

http://g1.globo.com/economia/noticia/bill-gates-lidera-lista-de-pessoas-mais-ricas-da-forbes.ghtml

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2017/03/31/interna_mundo,585208/onu-numero-de-pessoas-que-passam-fome-no-mundo-sobe-para-108-milhoes.shtml

http://www.orientemidia.org/genese-a-verdade-por-tras-do-crescimento-do-isisdaeshestado-islamico/

http://plataformapoliticasocial.com.br/previdencia-reformar-para-excluir-completo/

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: